Informativos
Câncer de mama e prótese mamária

Apesar de não representar fator de risco para a doença, o implante mamário pode dificultar o diagnóstico do câncer. O impacto da sua presença (em uma possível detecção da neoplasia) dependerá da forma, volume, situação retro ou pré-peitoral da prótese e também do volume mamário onde está inserida.

 

No pior cenário a prótese pode encobrir de 15 a 40% um diagnóstico de alteração mamária. A mamografia é o principal exame para detecção precoce da doença e as próteses podem prejudica-la - principalmente no posicionamento correto da paciente para a aplicação do exame.

 

Assim tumores mais profundos ou mais periféricos na mama podem não ser adequadamente visualizados, tendo seu diagnóstico retardado. Daí a necessidade de exames complementares, como a ultrassonografia e a ressonância magnética, em pacientes portadoras de próteses.

 

Além do diagnóstico do câncer, a ressonância também é o exame para detecção de qualquer tipo de ruptura da prótese.

 

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein

 

Data: 15/03/2019